Como fazer escolhas adequadas quando nos alimentamos em restaurantes

Dra. Raquel Gonçalves - Nutricionista


Ao longo da semana nem sempre é possível fazer as principais refeições do dia em casa, mas podemos manter a saúde comendo em restaurantes todos os dias dependendo de nossas escolhas.

Comer fora de casa já representa 1/3 do total de gastos das famílias brasileiras com alimentos, de acordo com pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria da Alimentação (Abia), o mercado de Food Service praticamente dobrou de tamanho em apenas cinco anos.

Neste cenário, a escolha do restaurante é fundamental. Um cardápio variado facilita as escolhas alimentares saudáveis dentro das preferências de cada um. Uma opção interessante seria o sistema self service.

Se o restaurante oferecer serviço tipo self-service,o ideal é sempre iniciarmos pela salada e depois o prato quente.

Muitas vezes pela falta de tempo, algumas pessoas optam por colocar todos os alimentos no prato. O importante é a salada estar presente em quantidade significativa no prato mesmo estando junto com alimentos servidos quentes.

No restaurante à La carte, o importante é saber o que compõe o prato escolhido, pois na maioria dos restaurantes a informação nutricional não está disponível. Neste caso, é interessante questionar se o prato solicitado não passou pelo processo de fritura ou se ele é acompanhado de molhos preparados a base de óleo ou gordura. Buscar informação quanto ao uso de bacon ou banha como tempero também é uma dica. No caso dos pratos que acompanham algum tipo de fritura (batata, mandioca, polenta...) verifique a possibilidade de trocar por legumes cozidos ou salada.

Sempre devemos incluir nas principais refeições um alimento fonte de proteína (qualquer tipo de carne, peixe, ovo ou proteína de soja), preferindo sempre os grelhados, cozidos ou assados. Também devemos escolher entre alimentos fontes de carboidratos como o arroz, a batata, a mandioca, o macarrão ou a polenta, além de uma hortaliça cozida ou refogada, sem esquecer a salada como entrada. Fique atento ao cardápio, é importante escolher um prato que possua fontes de carboidrato, proteína e vitaminas e minerais.

Na hora de montar a sua salada no bufê, fique atento aos molhos calóricos como opção de temperos. A melhor escolha para temperar as saladas são os azeites de oliva (dar preferência pelo extra-virgem quando possível), limão e pouco sal. Devem-se evitar os molhos prontos , não só devido ao valor calórico, mas também pela quantidade de sódio que eles apresentam.

Engana-se quem pensa que o clássico brasileiro, arroz e feijão, faz mal a dieta. Esta combinação é uma ótima pedida. É um prato típico da nossa cultura, muito bem aceito e com uma ótima qualidade nutricional. Além de promover maior saciedade, prolongando o aparecimento da sensação de fome após o almoço. O guia da alimentação saudável do Ministério da Saúde recomenda o cosumo de arroz com feijão diariamente ou pelo menos cinco vezes na semana.

Muitas pessoas se perguntam qual é a quantidade ideal de comida que se deve pegar em um restaurante por quilo. O peso do prato é muito subjetivo, pois podemos escolher um alimento "pesado" com uma quantidade grande de água na sua composição (pepino, tomate...), mas com baixo valor calórico. Ou então optar por alimentos igualmente pesados, porém com uma quantidade elevada de gordura e valor calórico, como por exemplo um filé à parmegiana. Além disso, a quantidade de alimentos e valor calórico da dieta devem ser individualizados, não existindo uma recomendação única para todos.

Uma das dúvidas mais frequentes das pessoas que comem fora de casa é: comer doce ou fruta como sobremesa. Para a escolha da sobremesa a melhor opção é sempre uma porção de fruta. Mas atenção, nada de frutas com caldas doces, chantilly ou creme de leite, pois além de contribuírem com o aumento da ingestão de calorias não fazem bem à saúde quando consumidos regularmente.

Valorize a alimentação do seu dia a dia com escolhas gostosas e saudáveis.

Deixe para ocasiões especiais e finais de semana os alimentos que consumimos exclusivamente pelo prazer de comer.