ANSIEDADE MATERNA

Dr. Nelson Faidiga - Pediatra - CRM 30.765


  Li certa vez , que a comunicação e a paciência estão para o clínico , assim como o bisturi está para o cirurgião.
  A boa relação médico-paciente , é fundamental no exercício da medicina . Na Pediatria , entretanto , existe a ansiedade materna , as vezes exagerada , que pode atrapalhar esta relação .
  Não há falta de confiança no médico , porém insegurança de algumas mães que são constantemente cobradas pelas avós e familiares , principalmente quando se trata do primeiro filho .
  Muitas vezes na condução de um patologia ( principalmente aquelas cujos diagnósticos necessitam de alguns dia para se confirmar ) o pediatra tem que saber lidar com a “fantasia” familiar .
  - Minha vizinha falou que pode ser isto ...
  - Minha avó disser ser aquilo ...
  Há dias eu não conseguia entender a ansiedade de uma mãe face a uma simples amigdalite purulenta de seu filho . Logo depois vim a saber que um familiar havia diagnosticado “crupe’ (Difteria) ...
  Quando a criança apresenta viroses de ciclos mais demorados onde nào existe tratamento específico , onde temos apenas que acompanhar a evolução clínica sem necessidade de medicação a situação fica de difícil controle .
  Tenho dito às mães que é mais fácil tratar uma meningite ou pneumonia onde usamos medicação específica do que uma simples gripe onde temos apenas que acompanhar a criança durante 10 dias .
  Sinto , infelizmente , que as vezes a opinião de um leigo é capaz de atrapalhar totalmente o tratamento que se faz com base tanto na experiência própria como em rigorosos estudos científicos .
  Por isto é fundamental que haja total confiança no médico que está tratando de seu filho. Procure dialogar com seu pediatra no consultório , informar se sobre a evolução e possíveis complicações da doença , tomar conhecimento dos efeitos colaterais dos medicamentos .
  Se a resposta ao tratamento não estiver ocorrendo de acordo com o esperado , volte a falar com seu médico para traçar outro esquema terapêutico .
  O excesso de ansiedade da mãe sempre acaba por stressar o pediatra .
  Deve haver “uma química” de confiança . Caso contrário você ficará percorrendo vários consultórios em busca de soluções milagrosas com risco de iatrogenizaçào de seu filho..